A Pessoa do obreiro - Parte 3

I. Quem são os presbíteros em uma assembléia local?

 

A. Presbíteros são aqueles que são constituídos autoridade representativa de Deus na Igreja local, isto é, em uma determinada localidade. Estes, são receptáculos da autoridade divina e ao mesmo tempo ministros desta autoridade, para conduzir a Igreja ao reino – manifestação maior da autoridade de Deus em Cristo Jesus – I Tm 3:4,5; Js 1:6


B. No Grego, "epyscopado", significa literalmente "aquele que vê por cima"; isto é, indica a função de administrar e ministrar a autoridade divina, a qual, requer uma visão alargada e discernimento sensível. A capacidade de julgar as causas, deve ir além das razões partidaristas que freqüentemente surgem no meio do povo.


C. O governo dos presbíteros é representativo. Não há governo e autoridade independentes de Deus. Há apenas um trono no universo (Ap 4:1). Aprouve a Deus, todavia, compartilhar o seu trono, autoridade e governo com os seres por ele criados. Os vinte e quatro anciãos, assentados em vinte e quatro tronos, são exemplos de como Deus compartilha sua autoridade, pois sustentam e ministram o governo de Deus sobre terra. Este tipo de autoridade e governo delegados por Deus, é o governo representativo, o mesmo confiado aos presbíteros – Ap 4:4.


D. Portanto, as autoridades representativas de Deus, neste caso, os presbíteros, devem ser recebidas, respeitadas e submetidas pela Igreja, pois lhes são por Deus – Êx 4:16


E. Os presbíteros são designados por nomes diferentes, não indicando funções ou posições diferentes, mas primas da mesma função e da mesma pessoa:

1. Bispos – Diz da pessoa que foi constituída por Deus para pastorear o rebanho de Deus – At 20:28. São pastores locais. Cuidam do rebanho alimentando-o, disciplinando-o, livrando-o do predador, o inimigo – Sl 23:2-4. São guias pois, conduzem o rebanho pela vereda plana, segura e firme, como aqueles que hão de prestar contas de cada "ovelha" no dia de Cristo Jesus – Hb 13:17.


2. Anciãos – Esta é outra designação para os mesmos presbíteros. Diz de sua maturidade espiritual no meio da assembléia. O termo ancião não se refere à velhice, pois neste caso, os vinte e quatro anciãos de Apoc. 4, deveriam ser velhos, o que não é verdade, visto não terem sido tocados pelo pecado; pois é o pecado que traz a deteorização da matéria (velhice). Os 24 anciãos são maduros e cheios de experiências, sendo os primeiros criados, e que acompanharam a história da criação e rebelião.

 

II. Como são "formados", escolhidos e feitos os presbíteros?

 

A. Presbíteros, Bispos, Anciãos, Guias ou Pastores locais, se referindo à mesma pessoa, são primeiramente constituídos pelo Espírito Santo – At 20:28.


B. A escolha dos presbíteros em uma assembléia local, é geralmente, em uma condição normal, presidida por apóstolos que estabeleceram a respectiva Igreja, mediante o seu ministério – At 14:23.


C. Na ausência de apóstolos, aqueles que estiveram na qualidade de evangelistas ou pastores extras locais, Ef 4:11, e que mediante o seu ministério foram levantadas igrejas locais, deverão promover ou até estabelecer presbíteros em nome da autoridade apostólica, segundo as Escrituras – Tt 1:5.


D. No caso de uma Igreja ser levantada sem o auxílio de algum apóstolo ou pastor extra local, conforme mencionado acima, a própria igreja pode promover e estabelecer presbíteros, com a imposição de mãos de um grupo de irmãos, uns três ou quatro, representantes de toda igreja, e aquilo que for ligado na terra, terá sido ligado nos céus – Mt 18:18.

 

III. Quais são as características dos presbíteros?

 

São de cinco categorias as qualificações dos presbíteros: (Ler I Tm 3:1-7; Tt 1:5-9).

 

A. Qualificações Morais: Irrepreensível; marido de uma só mulher; não dado ao vinho.


B. Qualificações Mentais: Sóbrio e mestre.


C. Qualificações de Caráter: Modesto; hospitaleiro; não avarento; que governe bem a sua casa; não cobiçoso de torpe ganância; amigo do bem; justo e piedoso.


D. Qualificações Emocionais: Temperante; não violento; não arrogante e não irascível.


E. Qualificações Espirituais: Não neófito, isto é, lit. recém plantado; pelo contrário, que seja conhecido como servo de Deus pelos de fora com bom testemunho; irrepreensível como despenseiro de Deus; apegado à Palavra fiel; que tenha poder para exortar os que se desviam do reto ensino.

 

A somatória destas características é a totalidade do caráter de Cristo manifesto, e os que as expressam são uma réplica de Cristo, conformados à sua imagem. A figura que vemos é de pessoas que perseguiram e galgaram a escada da santificação, por andar no espírito, se mover no espírito e ser guiado por Ele. Foram transformados mediante a glória do evangelho, e como tais são espelhos para toda a igreja, dignos de serem imitados. Este é o alto padrão para todos os presbíteros.

 

Tais características devem ser encontradas nos presbíteros, e aqueles que não há possuem devem se dispor a buscá-las. Afinal, este é o preço a ser pago por aqueles que hão de ser galardoados por Cristo com prêmio não menor que a "imarcescível coroa de glória" – I Pe 5:4.





Bispo Alexandre Rodrigues

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Avalie este item
(0 votos)
Super User

Curabitur ultrices commodo magna, ac semper risus molestie vestibulum. Aenean commodo nibh non dui adipiscing rhoncus.

Website.: www.themewinter.com

Bispo Sênior
Alexandre Rodrigues

Bispos
Eleilson Ferreira
Giovani Mantovani
Josué Argôlo
Marcos Oliveira
Moisés Gonçalves
Renato Sena
Vinícius Batista

Outros Links