Devo ou não sair da arca?

Querido irmão em cristo,

 

Graça e paz. Já estive visitando a igreja a qual o Sr. ministra a genuína palavra de Cristo. Confesso-lhe que adorei a pregação. Não perco um só programa De Volta à Palavra, aos sábados. Gostaria de saber qual o seu ponto de vista sobre o que é pregado a respeito de campanha da prosperidade, campanha da chave que abre portas, Deus quer que você prospere financeiramente, dentre outras baboseiras que são ditas na hora de pedir (intimar) ofertas. Estou com muitas duvidas com relação ao que escuto, comumente. O que devo fazer diante disso? Sair da arca? E o dilúvio lá fora?

 

Que Deus te abençoe abundantemente.

 

Nota: Texto do e-mail parafraseado e condicionado, por questão de ética, sem perder, todavia, a essência transmitida pelo remetente.




 

Resposta:

 

 

Amado irmão em Cristo, (...)


Graça e Paz,


A minha consideração a respeito de mensagens como as que você se referiu não é de ordem pessoal, até mesmo porque não há razão para isso, mas é a percepção de alguém que busca o conhecimento de Deus em consonância com a Sua Palavra. Deste modo, confesso que muito, quase tudo, do que ouço ser pregado pelos líderes evangélicos hoje em dia, não é o evangelho de Cristo, mas o pseudo-evangelho do deus deste século, o qual cegou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a luz do evangelho de Jesus Cristo (2Co 4:4).

 

Trata-se de um evangelho antropocêntrico, em cujo centro está o homem, e que não traduz o propósito eterno de Deus. Pelo contrário, se opõe fortemente e fere no âmago a sã doutrina pregada por Cristo e por Seus apóstolos. É isso o que diz o apóstolo Paulo, em sua primeira carta a Timóteo, dizendo:

 

Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro. De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição.  Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (5:3-10).

 

Observe o que a Escritura declara: “Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de Jesus Cristo é...”. Ora, o que foi que Cristo pregou? Quais são as sãs palavras de Jesus Cristo e o ensino segundo a piedade? Vejamos alguns de seus ensinamentos:

 

1)  Não acumuleis tesouros para vos outros na terra, onde traça e ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam – Confira: Mt 6:19.


2)  Vai, vende tudo quanto tens, dá-o aos pobres, e terás um tesouro nos céus. Depois vem e segue-meConfira: Mc 10:21.


3)  Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezasConfira: Mt 6:24.


4)  Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas – Confira: Mt 6:25 e 32.


5)  Buscai, pois, em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça; e as demais coisas serão acrescentadas – Confira: Mt 6:33.


6)  Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça daíConfira: Mt 10:8.

Pergunto, pois: o evangelho que comumente ouvimos nos dias de hoje CONFESSA a sã doutrina de Jesus Cristo, o ensino segundo a piedade, conforme os textos da Bíblia mencionados acima? Se a resposta é não, então o que, em sua maior parte, se ouve não é o evangelho de Jesus Cristo.

 

Os que estão em dissonância com as palavras de Cristo são “... enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro”.

 

Nesse caso, se os tais pregadores não estão pregando o evangelho de Cristo, não podem, conseqüentemente, ser verdadeiros discípulos do Senhor. Não é isso o que nos ensina o apóstolo João, em sua primeira epístola, dizendo?

 

“Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve; aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro” (4:6). 

 

Esse é o mesmo testemunho que Jesus dá a respeito dos que não pertencem ao Seu rebanho, dizendo:

 

“Qual a razão por que não compreendeis a minha linguagem? É porque sois incapazes de ouvir a minha palavra. Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. Mas, porque eu digo a verdade, não me credes. Quem dentre vós me convence de pecado? Se vos digo a verdade, por que razão não me credes? Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus” – Jo 8:43-47.

 

Temos, assim, mais uma vez confirmado o fato de que, os que não ouvem as palavras de Cristo não são de Deus; pois os que lhe pertencem, ouvem as Suas palavras.

 

O que são, então, uma vez que não são verdadeiros discípulos de Cristo? Leiamos o testemunho das Escrituras, que nos diz:

 

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias” – 2Pe 2:1-3. 

 

Irmãos, não devemos nos esquecer de uma coisa: que “nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade” – Mt 7:21-23. Ora, vede. O contexto imediato que trata desses que dizem, Senhor, Senhor, identifica esses com os falsos profetas (Confira: Mt 7:15).

 

Deste modo, se os que discordam das sãs palavras de Cristo não são dele, não há porque nos colocarmos sob suas lideranças, acreditando, inocentemente, que estamos na arca de Deus (Cristo e a igreja) que nos livra do dilúvio (juízo). De acordo com a ótica divina, o povo de Deus está, na verdade, é em Babilônia, a Grande, a meretriz que tem dado a beber a todo o mundo do vinho da sua prostituição (Ap 17:4-5). Por essa razão, o Senhor conclama a todos os Seus verdadeiros filhos a que saiam, dizendo:

 

“Então, exclamou com potente voz, dizendo: Caiu! Caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável, pois todas as nações têm bebido do vinho do furor da sua prostituição. Com ela se prostituíram os reis da terra. Também os mercadores da terra se enriqueceram à custa da sua luxúria. Ouvi outra voz do céu, dizendo: Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos” – Ap 18:2-4.

 

Portanto é urgente a necessidade de reação do povo de Deus, a fim de que se levante e se retire de todo lugar em que a Palavra de Cristo, o verdadeiro evangelho de Deus, não é pregada em sua essência genuína. ESSE É UM MANDAMENTO BÍBLICO, pois, assim declara as Escrituras: “tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também desses (2Tm 3:5). E ainda em outro lugar, diz: “... Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor – (2Tm 2:22).

 

Que Deus te abençoe e te guarde, e te dê a graça necessária para tomares a decisão certa, ao Seu lado, e ao lado de todos os que de coração puro invocam o nome de Jesus Cristo, o nosso Senhor.




Eu mesmo,

 

Bispo Alexandre Rodrigues

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Avalie este item
(0 votos)

Bispo Sênior
Alexandre Rodrigues

Bispos
Eleilson Ferreira
Giovani Mantovani
Josué Argôlo
Marcos Oliveira
Moisés Gonçalves
Renato Sena
Vinícius Batista

Outros Links