Um grito

“Estátuas e cofres e paredes pintadas, ninguém sabe o que aconteceu...”, disse o profeta profano, ao sinalizar o descuido da humanidade para com os problemas reais da existência humana. A criança se jogou da janela, do 5º andar, porém, ninguém sabe o porquê. E por que não sabe? Por que ninguém entende? Ora, simplesmente pelo fato de os homens terem se trancafiados nos cofres de suas religiões mercantilistas, de terem eles pintado um mundo irreal, de ilusões, onde o orgânico se transformou em meras estórias de fantasias, que alimentam expectativas vãs e que não têm o poder de transformar corações. Os homens transformaram-se em estátuas de sal, sem sabor, sem utilidade, que não servem nem para a terra, nem para o monturo, senão para serem jogadas fora.

Os pintores do sagrado retrataram o Divino – Mistério que permeia o Cosmo – com as cores da objetividade pueril de suas teologias cegas, inorgânicas, sistemáticas. Não demorou, pois, para que tudo o mais se objetivasse, e se perdesse a sensibilidade da dor que dói, do sangue quente que esvai, da súplica que salta dos olhos vivos dos mortos, que perambulam pelo mundo, carentes de misericórdia, de compaixão, de salvação.

Mas os mestres da arte pictórica encadernaram o Verbo vivo, encadeando-O nas frias páginas de um livro de luxo, em cuja capa de couro fino se escreve, com letras douradas, SAGRADO. A Verdade foi transformada em fósseis, que satisfazem os corações de pedra e petrificam as consciências, transformando-as em estátuas, a fim de ornamentarem as “poesias concretas” das praças de um não-mundo criado pelos homens.

Ah, saudade dos verdadeiros poetas, dentre os quais, um deles, organicamente, disse:

“Mundo mundo vasto mundo,

Se eu me chamasse Raimundo

seria uma rima, não uma solução.

Mundo mundo vasto mundo,

Mais vasto é o meu coração”

       

Ora, como saber o que de fato está acontecendo, se não há solução, mas somente rima?

Ah, teólogos parnasianos, “sapos-boi”, “sapos-tanoeiros”, teólogos aguados. Voltai os vossos olhos às Escrituras e procurai nelas a Vida ali revelada. Permiti que aos vossos olhos salte a Palavra viva, eficaz, expressão exata da Realidade. Somente assim vereis que o inferno por vós anunciado já inflama suas chamas, destruindo vossas cidades de Sodoma e Gomorra, erigidas nos fulcros da ganância, do medo e da culpa. Vossa sorte encontra-se no fato de o vosso deus ser tão somente fruto de ignorância e engano. Pois se fosse como pensais, sua misericórdia há muito ter-se-ia acabado, e vós, destruídos.

A Essência jamais passará, embora, no atual momento, encontra-se oculta, como tesouro escondido nas ruinas dos corações engodados. Uma vez retirados os escombros do edifício teológico ocidental, ouvir-se-á novamente a voz dos profetas dizendo: “o amor não se ressente do mal... tudo sofre... tudo suporta... tudo espera... tudo crê... pois Deus é amor.

Mas quem ouvirá a voz do profeta profano, que ensina o belo refrão, no qual é afirmado ser “preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”? Mais fácil é lançá-lo no inferno, uma vez que sua existência não se encaixou na matriz anticanônica das paredes pintadas pelos dramaturgos da religião.

No amor do Verdadeiro,

Alexandre Rodrigues

Obs.: No texto há expressões poéticas de Manoel Bandeira, Caetano, e um trecho da poesia de Carlos Drummond: POEMA DE SETE FACES.

Avalie este item
(20 votos)

Devocionais

  • O poder do amor
    “Sempre fica um pouco de perfume nas mãos de quem oferece flores.” Provérbio chinês. Maria Rosa, jovem flor, dos homens só conheceu espinhos. Apesar de seu nome, Maria Rosa sempre carregou no corpo e, principalmente, na alma as marcas de quem muito bebeu das acerbas águas do sofrimento. Igualmente aos…
  • O incognoscível Deus revelado aos homens
    Deus! Esse é o nome que damos àquele que tudo criou, ao Eterno, ao Absoluto, ao Inesgotável, ao Infinito... ao único que é em si mesmo. Alguns o chamam de Jeová, outros, de “uma força”, e há os que o denominam simplesmente “ser superior”. Fato é que ninguém o conhece…
  • Um grito
    “Estátuas e cofres e paredes pintadas, ninguém sabe o que aconteceu...”, disse o profeta profano, ao sinalizar o descuido da humanidade para com os problemas reais da existência humana. A criança se jogou da janela, do 5º andar, porém, ninguém sabe o porquê. E por que não sabe? Por que…
  • Então é natal
    “O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa. Entretanto, se faz necessário o silêncio... Para que se consiga ouvir a voz do Amor. Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer e deixar que Deus penetre em sua alma.” Papa Francisco. É no silêncio, sem espectadores, sem…
  • Um odre na fumaça
    “— Não é assim que se faz, Abdullah. Primeiro você precisa deixar o odre ser curtido na fumaça por tempo suficiente, antes de introduzir água em seu interior ” – falou Omar com enorme doçura ao seu neto, enquanto este enchia de água um odre recém-feito com o couro de…

Bispo Sênior
Alexandre Rodrigues

Bispos
Eleilson Ferreira
Josué Argôlo
Marcos Oliveira

Outros Links